quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Estações do metrô de Fortaleza estão sem informações de horários

22/10/2014 - O Povo - Fortaleza

Há mais de uma semana, chegar às estações da Linha Sul do Metrô de Fortaleza (Metrofor) e descobrir o horário do próximo trem é tarefa que depende de informações dadas pelos funcionários. As tabelas com a previsão de chegada dos trens foram retiradas dos painéis informativos. Na manhã de ontem, a chegada dos trens diferiu até 15 minutos dos dados disponíveis no site do Metrofor, segundo presenciou a reportagem do O POVO. Usuários relatam atrasos maiores no cotidiano.

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Metrofor, a linha ganhou um trem no dia 13 de outubro. Eram três veículos no início da operação comercial (no dia 1º de outubro), e a tabela de horários previa 27 minutos de espera. Agora, são quatro trens e espera de 20 minutos. Uma diminuição de sete minutos entre as viagens que alterou a tabela. Por isso, as informações foram retiradas das estações e não há previsão de quando será disponibilizada nova tabela, tanto no site quanto nas estações.

Apesar disso, o Metrofor informa que os novos horários estão sendo cumpridos. Na manhã de ontem, O POVO percorreu a linha e observou que os trens passavam até 15 minutos antes do previsto na tabela antiga. Mas o intervalo entre dois trens do mesmo sentido chegou a 28 minutos. Na estação Parangaba, um trem partiu às 10h12min em direção a Pacatuba e o seguinte saiu às 10h40min.

Segundo um dos funcionários da linha, que preferiu não se identificar, não há como ter certeza dos horários pois, conforme ele, não é todo dia que os quatro trens estão em atividade. O leitor que sugeriu esta reportagem, Haroldo Barbosa, contou ter recebido informação semelhante de um dos funcionários: na manhã da última sexta-feira, 17, eram apenas três veículos. Ele havia esperado até 7h45min o trem na estação Aracapé previsto para as 7h22min (conforme a tabela do site). A assessoria confirma a parada de um dos trens na tarde do dia 16 para manutenção de uma das portas, problema que teria sido resolvido no mesmo dia.

Para o vendedor Paulo Lopes, 57, o atraso de alguns minutos não incomoda. Para ir do Maracanaú ao Benfica, ele antes levava mais de uma hora de ônibus. Agora, comemora poder fazer o percurso em 20 minutos. "Dá para esperar. A rapidez, o preço e a comodidade compensam". Ele só espera que a linha funcione até as 21 horas. A assessoria do Metrofor informa que não há previsão de estender o horário, que atualmente vai das 6h30min às 19 horas, de segunda a sábado.

A Linha Sul está em operação comercial desde o início de outubro, com passagens a R$ 2,20 (inteira) e R$ 1,10 (meia). Foram 11,5 mil passageiros no primeiro dia (1º de outubro). Desde então, a linha já recebeu até 20 mil pessoas por dia. A expectativa, segundo a assessoria do órgão, é de alcançar a marca de 22 mil usuários hoje, dia em que a operação completa três semanas.

Serviço

Linha Sul do Metrofor

Para mais informações, acesse: Cia. Cearense de Transportes Metropolitanos

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Metrô e VLT: Estado projeta investir R$ 5,32 bilhões em 2015

17/10/2014 - Diário do Nordeste

Com R$ 5,32 bilhões previstos para investimentos em obras sociais e de infraestrutura, o equivalente a 22,5% dos R$ 23,6 bilhões do orçamento projetado pelo governo do Estado para 2015, o próximo governador eleito, seja ele Camilo Santana ou Eunício Oliveira, já tem previamente definidas as principais obras e programas onde deverá aplicar os recursos. 

Conforme o Projeto de Lei Orçamentário (LDO 2015) encaminhado à Assembleia Legislativa do Ceará, esta semana, a implantação do Metrô da Linha Leste (R$ 461,77 milhões), o Programa Ceará IV, de construção e conservação de estradas (R$ 702,6 milhões); a ampliação da segunda etapa do Porto do Pecém (R$ 309,58 milhões) e a ponte estaiada, em Fortaleza, (R$ 233 milhões) consumirão R$ 1,7 bilhão, ou quase um terço (32%) do total de recursos projetados para investimentos no Ceará no próximo ano. 

Para a implantação da segunda fase da correia transportadora de minérios de ferro do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) serão destinados mais R$ 105 milhões, enquanto à execução das obras do Cinturão das Águas estão previstos R$ 101,8 milhões, e para o VLT Parangaba-Mucuripe entrar nos trilhos, R$ 32,6 milhões. 

No total, a proposta orçamentária, que ainda passará pelo crivo do Legislativo, priorizou 45 obras e programas que, juntos, absorverão R$ 2,430 bilhões, sendo R$ 2,262 bilhões de fontes diversas e R$ 168 milhões de contrapartida do Estado. 

Macrorregiões 

As regiões que concentram a maior parte da renda do Estado e consequentemente são as que mais contribuem com o fisco, a Metropolitana de Fortaleza e o Cariri e Centro Sul são as que mais investimentos receberão do governo Estadual no próximo ano, respectivamente, R$ 7,384 bilhões e R$ 1,262 bilhão. Juntas, somarão R$ 8,645 bilhões, o equivalente a três terços, ou 76,2% dos R$ 11,346 bilhões projetados para as oito macrorregiões do Estado. 

Pastas 

Da mesma forma, a LDO 2015 também revela as Pastas que mais recursos deverão receber do próximo chefe do Executivo cearense. A Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) terá orçamento de R$ 82,1 milhões, a de Desenvolvimento Agrário (SDA), R$ 60,9 milhões e a das Cidades, R$ 53,6 milhões. Na outra ponta, entre "os primos pobres", estão as secretarias de Ciência e Tecnologia, R$ 753 mil; a do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), R$ 740 mil, e a de Esporte, R$ 583,42 mil. A de Cultura receberá R$ 550 mil. 

Receitas 

Do total das receitas estimadas pelo governo, no próximo ano, R$ 12,471 bilhões advirão da arrecadação tributária própria; enquanto R$ 8,143 bilhões, ou 34,5% serão oriundos de transferências correntes, sendo R$ 5,726 bilhões do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e R$ 103,73 milhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Fontes que mostram a forte dependência do Estado em relação à União. Fatores que revelam quanto o gestor Estadual ainda precisa buscar alinhar-se às políticas públicas e partidárias do governo central. 

Para suprir eventuais acréscimos de despesas, o futuro governador poderá autorizar a abertura de créditos suplementares, até o limite de 25%, da fonte de recursos do tesouro Estadual.

Fonte: Diário do Nordeste
Publicada em:: 17/10/2014

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Ceará inaugura metrô incompleto a 4 dias da votação

03/10/2014 - O Estado de SP

FORTALEZA - Às vésperas da eleição, com o candidato do governador Cid Gomes (PROS) ainda tentando a virada sobre o senador Eunício Oliveira (PMDB), a Linha Sul do Metrô de Fortaleza entrou em operação comercial (ainda parcial) nesta quarta-feira, 1.

O candidato apoiado por Cid, Camilo Santana (PT), foi quem anunciou a "novidade" no debate da TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo. Embora a nova operação seja entre segunda e sábado, o Metrô funcionará "excepcionalmente" neste domingo, dia do 1.º turno da eleição. O início do funcionamento normal está previsto somente para 2016. A inauguração, entretanto, era esperada para a Copa do Mundo de 2014.

Visivelmente ainda há muito a ser feito: sinalização e ventilação das estações, por exemplo, ainda não estão completas, e há falhas no sistema de informações sonoras dos trens. Com 24km (liga o Centro de Fortaleza a Pacatuba, na Região Metropolitana), a Linha Sul começou a ser construída em 1999 e custou, até o momento, cerca de R$ 2 bilhões. Recebeu recursos do governo estadual e da União, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O governo do Ceará nega que o início da operação tenha objetivo eleitoreiro. Segundo a Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), a novidade foi possível graças à assinatura de um convênio pendente com o governo federal no valor de R$ 200 milhões e assinado "na semana passada". Ainda segundo a companhia, de economia mista e ligada ao governo estadual, a operação já poderia ter começado na segunda-feira, mas, "para comunicar à população, decidiu-se começar no primeiro dia útil de outubro", quarta-feira.

Com recursos do PAC desde 2007, as primeiras estações da Linha Sul só ficaram prontas em junho de 2012, quando teve início a chamada "operação assistida", com viagens gratuitas entre segunda e sexta-feira, das 8h às 12h. Esta semana, o serviço foi estendido: de segunda a sábado, das 6h30 às 19h, agora com cobrança de tarifa (R$ 2,20 a inteira e R$ 1,10 a meia. É o mesmo preço das passagens de ônibus.

O número de trens operando, entretanto, permanece o mesmo: somente três, o que significa um tempo de espera de 30 minutos entre um e outro. Somente com a operação total, no início de 2016, é que o tempo de espera cairá para entre 3 e 6 minutos, informou a Metrofor, com a circulação de 25 trens.

O procurador regional do Ceará, Rômulo Conrado, informou que não vê irregularidade eleitoral no início da operação dias antes da eleição.

Remoções. No reduto eleitoral do governador Cid Gomes e de seu irmão Ciro Gomes (PROS), outro metrô, também atrasado e com recursos da União, continua sem data para começar a operar. O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Sobral, cidade do sertão cearense a 240km da capital, deveria ter sido entregue em dezembro de 2012, mas até hoje não opera. Nesta quinta-feira, 2, a Metrofor não quis dar uma previsão para o início de operação do "Metrô de Sobral", como é chamado.

A construção do VLT, que custou até agora cerca de R$ 90 milhões, envolveu um polêmico processo de remoção de 18 imóveis. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do governador Cid Gomes não retornou. Ironicamente, no trecho onde hoje se veem apenas os escombros das casas que foram removidas, há placas de propaganda não só do candidato apoiado pelo governador, Camilo Santana, mas também de seu principal concorrente, Eunício Oliveira.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Passagem do Metrô de Fortaleza custará R$ 2,85 a partir de outubro

23/09/2014 - G1

Metrô passará a funcionar em fase comercial em dia ainda a ser definido. Intervalo máximo entre cada trem será de 30 minutos, segundo Metrofor.

A passagem do Metrô de Fortaleza será de R$ 2,85 a partir de outubro deste ano, segundo o Metrofor. O metrô deixará de funcionar em fase teste (com passagens gratuitas) e começa a operar na fase comercial em outubro, mas ainda sem o dia definido.

O valor, segundo o Metrofor, foi estabelecido em R$ 2,85 por ser o mesmo valor do ônibus intermunicipal entre Maracanaú e Fortaleza, trecho do Metrô de Fortaleza. A partir de fase comercial, o número de trens circulando passará de seis para 25.

O tempo máximo de intervalo entre os trens será de 30 minutos. O Metrofor deverá divulgar nos próximos dias o intervalo exato.

Fonte: Do G1 CE 

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Governo do Ceará consegue R$ 1 bi para metrô de Fortaleza

02/09/2014 - Ceará Agora

O Ministério da Fazenda autorizou que seja firmado contrato de financiamento de R$ 1 bilhão entre o Estado do Ceará para a implantação da Linha Leste do Metrô de Fortaleza. O financiamento será concedido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).  Essa autorização foi publicada no Diário Oficial da União na última segunda-feira (1/09).

O BNDES havia noticiado financiamento para esse projeto no começo de julho. A implantação da Linha Leste do metrô de Fortaleza, com extensão total de 12,4 quilômetros e 13 estações, faz parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). A Linha Leste do metrô irá integrar o centro capital à região da Avenida Santos Dumont, onde se encontram os principais pólos comerciais, universitários e financeiros da cidade, além da região da Avenida Washington Soares, que apresenta o maior índice de crescimento da região.

O financiamento do BNDES vai apoiar investimentos necessários para implantação das obras civis do metrô, que corresponde a 12,4 quilômetros de sistema metroviário, sendo 11,1 quilômetros de trecho subterrâneo, 562 metros de trecho de transição e 800 metros de trecho em superfície, além de treze estações (doze subterrâneas e uma em superfície), dez poços de ventilação e sete saídas de emergência.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Fazenda autoriza R$ 1 bi do BNDES para a Linha Leste do Metrô de Fortaleza

02/09/2014 - Diário do Nordeste - Fortaleza


Brasília. O Ministério da Fazenda autorizou que seja firmado contrato de financiamento de R$ 1 bilhão entre o Estado do Ceará para a implantação da Linha Leste do Metrô de Fortaleza O financiamento será concedido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O texto com essa autorização foi publicado no Diário Oficial da União de ontem (1º).

O BNDES havia noticiado financiamento para esse projeto no começo de julho. A implantação da Linha Leste do metrô de Fortaleza, com extensão total de 12,4 quilômetros e 13 estações, faz parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). A Linha Leste do metrô irá integrar o centro Capital à região da Avenida Santos Dumont, onde se encontram os principais polos comerciais, universitários e financeiros da cidade, além da região da Avenida Washington Soares, que apresenta o maior índice de crescimento da região.

Obras

O financiamento do BNDES vai apoiar investimentos necessários para implantação das obras civis do metrô, que correspondem a 12,4 quilômetros de sistema metroviário, sendo 11,1 quilômetros de trecho subterrâneo, 562 metros de trecho de transição e 800 metros de trecho em superfície, além de 13 estações (12 subterrâneas e uma em superfície), dez poços de ventilação e sete saídas de emergência.

O texto publicado no Diário Oficial cita "contrato de garantia, a ser firmado entre a União e o Estado do Ceará, com a interveniência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); e contrato de vinculação de receitas e de cessão e transferência de crédito, em contragarantia, a ser celebrado entre a União e o Estado do Ceará, com a interveniência da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste do Brasil, ambos relativos a contrato de financiamento a ser firmado entre o Estado do Ceará e o BNDES, no valor de R$ 1 bilhão, cujos recursos serão destinados ao financiamento da implantação da Linha Leste do Metrô de Fortaleza".

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Fase de testes do Metrô já dura mais de 2 anos sem data para acabar

28/08/2014 - O Povo - Fortaleza


Seu Francisco Edilson, 49, aproveita o "friozinho" do Metrô de Fortaleza (Metrofor) duas vezes por semana. Às sextas-feiras, ele vai ajeitar o jardim do chefe, na Parangaba, mas, nas quartas, o senhor sai do bairro Ancuri, de ônibus, e vai até a estação no Benfica só para passear. Elevai e vem até a estação Carlito Benevides, que é o final da linha Sul em Maracanaú, só admirando a cidade.

Em dois anos, Edilson já acumula 64 viagens, contabilizadas em um papel afixado na parede de casa. Viajar no metrô, que ele sempre "quis alcançar", é uma diversão que vai durar até acabar o período de operação assistida, quando o serviço deixa de ser de graça e estende os horários – hoje, funciona de 8h às 12horas. "Enquanto eles não colocam para pagar, eu vou testando também", comenta o jardineiro.

Com início em junho de 2012, a operação assistida, ou fase de testes, segundo a assessoria de imprensa do Metrofor, espera por licitação para equipamentos de "de sinalização, de controle, de ventilação e de bilhetagem", no valor de "R$ 187 milhões", e ainda permanece sem data para acabar. Com o início da operação comercial, o tempo de espera entre um trem e outro cairia de 30 minutos para cinco e o horário de funcionamento será das 5h30 às 23 horas.

Enquanto espera a nova fase do transporte, Edilson tem esperança de passar das 100 viagens de graça, mas a opinião do jardineiro não é compartilhada pela maioria. Para a universitária Mirian Vasconcelos, 21, que sai do Conjunto Jereissati II com direção ao Centro, o horário de funcionamento atual é inconveniente. "Saio 6h da manhã de casa para pegar um ônibus e ainda chego atrasada. Se fosse num horário mais cedo, seria ótimo. Deviam colocar logo para gente pagar", opina a estudante que só utiliza o serviço quando a aula da faculdade termina mais cedo e ela consegue ir até o emprego, em Parangaba, de metrô.

Com viagem confortável e rápida - leva-se em média de 35 a 40 minutos para percorrer os 24 km da linha sul que liga a estação Chico da Silva, no Centro, à Carlito Benevides, em Maracanaú -, o Metrofor é elogiado pela massoterapeuta Rose Fernandes, 43. "Isso é tão bom que nem parece transporte público", afirma, mantendo, contudo, algumas ressalvas. "Essa demora em estender os horários e passar a cobrar passagem só pode ser para beneficiar os empresários de ônibus. Quem deixaria de pegar um metrô para andar num ônibus quente e lotado?", questiona.

A comodidade também é elogiada pela autônoma Fátima Monteiro, umas das 11 mil pessoas que circulam diariamente no Metrofor. "Saio da quentura do Centro e chego em casa bem geladinha. É bom demais, devia ser era o dia todinho", conta, na torcida de que a operação comercial comece logo.

Saiba mais

Segundo a assessoria do Metrofor, o serviço será integrado ao sistema de transporte público existente, "sendo definido posteriormente como se dará a integração sobre o preço das passagens".

Espera-se que,quando integrado aos demais sistemas metroferroviários e de ônibus, 355 mil passageiros circulem diariamente no Metrofor.

Duas das 20 estações na Linha Sul ainda estão em obras. A Padre Cícero (localizada atrás do campo do Ceará) e a Juscelino Kubitschek (próxima ao Bar Avião, na avenida João Pessoa) "entraram no PAC da Copa para mobilidade e estão sendo construídas, devendo ser finalizadas no início do ano que vem".

Durante a viagem de ida e volta, a reportagem verificou que os alertas sonoros e luminosos, avisando em que ponto a viagem está, não estavam funcionando.