segunda-feira, 25 de maio de 2015

Rebaixada em obra de metrô, Estação da Parangaba encontra-se cercada para evitar entulho

25/05/2015 - Tribuna do Ceará

Quem vê a Estação da Parangaba assim, cercada, imagina que ela encontra-se fechada. Todavia, o espaço é aberto ao público e oferece serviços de assistência social, advocacia e psicologia para pessoas que não têm condições financeiras de pagar por esses serviços. Desde novembro de 2013, o prédio abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará. A partir de seu funcionamento, o espaço contabiliza mais de 2 mil atendimentos.

Em uma foto publicada em redes sociais na semana passada, moradores de Fortaleza questionaram as grades ao redor da estação. A cerca foi adotada para proteção contra poeira e lixo, mas o equipamento é aberto ao público e funciona diariamente das 8h às 17h.

Erguida em 1873 e reconstruída em 1927, a Estação Parangaba foi a segunda estação ferroviária de Fortaleza. A primeira é a Estação João Felipe, no Centro. Em 2008, o equipamento foi tombado. No mesmo ano, o prédio passou por um dilema. Devido a construção do Metrô de Fortaleza, a estação teria que sair do local para dar espaço ao metrô. Na época, o então governador Cid Gomes tinha as seguintes opções: fazer uma réplica da estação e transferi-la para outro bairro, custando R$ 214 mil; transladar o prédio para a Praça Central da Parangaba, ao custo de R$ 5,27 milhões; ou construir um memorial no mesmo local, respeitando a estrutura da estação.

A solução foi acordada entre Cid e a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins: rebaixar a estação por 3,5 metros e elevar a linha do metrô para preservar o equipamento histórico e evitar sua demolição. A obra durou cinco meses, onde foi priorizado a manutenção das estrutura do prédio, bem como seus traços arquitetônicos.

O valor de INVESTIMENTO foi de R$ 1.063.324,47. A participação dos moradores do bairro no debate sobre o assunto foi importante para que os executivos acatassem essa decisão. Jeovah Natalense, de 85 anos, morador mais antigo do bairro, foi o principal defensor da preservação da Estação Parangaba. Membro da família Pedra, tradicional no bairro, tem o respeito de todos os moradores.

Debate

"A gente tem muita ligação porque o papai veio em um trem de Baturité até a Estação da Parangaba. Quando disseram que o metrô ia passar por lá, nós entramos com um requerimento contra a demolição da estação", relembra Jeohvah Natalense, morador mais antigo do bairro.

Por ser tão defensor da estação, o morador recebeu o privilégio de anunciar o tombamento. "Na época, estavam derrubando todas as estações, como fizeram com a do Otávio Bonfim. Imediatamente nós entramos com uma ação. Veio um oficial de Justiça e me autorizou a mandar tapar o buraco que eles tinham feito para derrubar a estação", conta, orgulhoso.

De acordo com o morador Salatiel Benigno, de 64 anos, a preservação melhorou o local, mas ele ainda prefere o prédio antigo. "O ideal era que eles tivessem mudado o trajeto do metrô, fazendo um desvio por esse terreno do Shopping Parangaba, que na época era só um terreno mesmo. Aí depois é que vieram se preocupar com a estação. Está bom, mas eles deviam ter planejado isso antes e não da forma como foi feito, às pressas".

Atualmente o local abriga o Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará. Além da assistência social, psicológica e jurídica à população, o centro tem trabalhado com ações como capacitações em escolas e em entidades parceiras, para divulgar o trabalho e promover a educação em direitos humanos e a cultura de paz. O objetivo é ser instrumento de defesa, promoção e acesso à justiça.

A equipe multidisciplinar ministra palestras nas escolas de redes municipais e estaduais e também acolhe alunos dessas escolas em visitas à instituição. Na ocasião, os alunos aprenderam sobre direitos humanos e patrimônio histórico, já que o centro de referência funciona na antiga estação da Parangaba – reconhecida como patrimônio histórico tombado pela Prefeitura de Fortaleza.

Outro ícone do Bairro Parangaba, o Bar Avião também sofreu alterações devido às obras do Metrô. Porém, as intervenções não interferiram no acesso ao prédio. Conhecido por sua arquitetura inusitada, com um avião no topo, o local recebeu restauração, mas já é alvo de pichações. No local, funciona um mercadinho popular.

Serviço

Centro de Referência em Direitos Humanos do Estado do Ceará

Rua Dom Pedro II – Parangaba

Ponto de Referência: Em frente à estação do Metrofor, ao lado do Shopping Parangaba e próximo ao terminal da Parangaba

Horário de Funcionamento: 8h às 17h

Telefone: (85) 3101.2998 / 3101.2960

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Governo do Ceará recebe propostas para obra do VLT de Fortaleza

27/04/2015 - G1 CE

A Secretaria da Infraestrutura do Estado do Ceará (Seinfra) concluiu nesta sexta-feira (24) a fase de recebimento de propostas para a retomada das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Fortaleza, que vai ligar os bairros Parangaba e Mucuripe. A obra havia sido prometida para a Copa do Mundo, em junho de 2014, e foi suspensa por atrasos da empresa responsável.

A obra foi dividida em três lotes e as empresas participantes deverão agora entregar à Seinfra planilhas, cronogramas e demais documentos exigidos pelo edital de concorrência. Após a análise do material serão anunciados os vencedores.

Os serviços do primeiro trecho, referentes à passagem na avenida Borges de Melo, estão orçados em 26,8 milhões milhões. O segundo trecho – Estação Borges de Melo à Estação Parangaba e o centro de manutenção, está orçado em R$ 48,3 milhões. Já a terceira licitação tem valor de R$ 100 milhões e compreende o trecho entre a Estação Iate à Estação Borges de Melo.

Os recursos para as obras são da Caixa Econômica Federal e os trabalhos devem ficar prontos num prazo de 12 meses a partir da assinatura da Ordem de Serviço, exceção para os serviços do terceiro trecho, fixado em 18 meses. "Nosso interesse não é ter simplesmente a obra pronta, mas funcionando o mais rápido possível. Portanto, tudo que for necessário para que essa obra transcorra da melhor forma possível, e que o serviço seja prestado sem nenhum tipo de intercorrência, a gente colocou dentro desse processo", afirma o secretário da Infraestrutura, André Facó.

Obra de mobilidade

O VLT está com 50% de avanço nas obras e, quando concluído, terá 12,7 quilômetros ligando o os bairros Mucuripe e Parangaba. Desta extensão total, serão 11,3 quilômetros em superfície e 1,4 quilômetros de trechos elevados, é um projeto do Governo do Estado que visa a remodelação do ramal ferroviário Parangaba-Mucuripe, atualmente utilizado para transporte de carga, objetivando a utilização do mesmo para transporte de passageiros.

O Ramal atravessa 22 bairros, área que concentra mais de 500 mil moradores de Fortaleza. A previsão de demanda potencial do novo modal é de 90.000 passageiros por dia. O projeto prevê a construção de três tipologias de estação, sendo uma elevada (Parangaba), a do Papicu (que fará a integração com a Linha Leste do Metrô e o terminal rodoviário) e outro tipo de padronização para as outras seis estações: Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira e Mucuripe. Serão construídos, também, dois elevados com vãos de 32,90 metros, uma passagem inferior passando pela avenida Borges de Melo, além de passarelas sobre as avenidas Expressa e Pontes Vieira.

Em 2014, o governador do Estado rompeu o contrato com o Consórcio CPE-VLT Fortaleza, motivado após inúmeras notificações de atraso feitas pela Secretaria de Infraestrutura. O grupo havia vencido a licitação com a proposta de preço de R$ 179,54 milhões.

sábado, 25 de abril de 2015

Governo do Ceará recebe propostas para obra do VLT de Fortaleza

24/04/2015 - G1

A Secretaria da Infraestrutura do Estado do Ceará (Seinfra) concluiu nesta sexta-feira (24) a fase de recebimento de propostas para a retomada das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Fortaleza, que vai ligar os bairros Parangaba e Mucuripe. A obra havia sido prometida para a Copa do Mundo, em junho de 2014, e foi suspensa por atrasos da empresa responsável. 

A obra foi dividida em três lotes e as empresas participantes deverão agora entregar à Seinfra planilhas, cronogramas e demais documentos exigidos pelo edital de concorrência. Após a análise do material serão anunciados os vencedores. 

Os serviços do primeiro trecho, referentes à passagem na avenida Borges de Melo, estão orçados em 26,8 milhões milhões. O segundo trecho – Estação Borges de Melo à Estação Parangaba e o centro de manutenção, está orçado em R$ 48,3 milhões. Já a terceira licitação tem valor de R$ 100 milhões e compreende o trecho entre a Estação Iate à Estação Borges de Melo. 

Os recursos para as obras são da Caixa Econômica Federal e os trabalhos devem ficar prontos num prazo de 12 meses a partir da assinatura da Ordem de Serviço, exceção para os serviços do terceiro trecho, fixado em 18 meses. "Nosso interesse não é ter simplesmente a obra pronta, mas funcionando o mais rápido possível. Portanto, tudo que for necessário para que essa obra transcorra da melhor forma possível, e que o serviço seja prestado sem nenhum tipo de intercorrência , a gente colocou dentro desse processo", afirma o secretário da Infraestrutura, André Facó. 

Obra de mobilidade 
O VLT está com 50% de avanço nas obras e, quando concluído, terá 12,7 quilômetros ligando o os bairros Mucuripe e Parangaba. Desta extensão total, serão 11,3 quilômetros em superfície e 1,4 quilômetros de trechos elevados, é um projeto do Governo do Estado que visa a remodelação do ramal ferroviário Parangaba-Mucuripe, atualmente utilizado para transporte de carga, objetivando a utilização do mesmo para transporte de passageiros. 

O Ramal atravessa 22 bairros, área que concentra mais de 500 mil moradores de Fortaleza. A previsão de demanda potencial do novo modal é de 90.000 passageiros por dia. O projeto prevê a construção de três tipologias de estação, sendo uma elevada (Parangaba), a do Papicu (que fará a integração com a Linha Leste do Metrô e o terminal rodoviário) e outro tipo de padronização para as outras seis estações: Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira e Mucuripe. Serão construídos, também, dois elevados com vãos de 32,90 metros, uma passagem inferior passando pela avenida Borges de Melo, além de passarelas sobre as avenidas Expressa e Pontes Vieira. 

Em 2014, o governador do Estado rompeu o contrato com o Consórcio CPE-VLT Fortaleza, motivado após inúmeras notificações de atraso feitas pela Secretaria de Infraestrutura. O grupo havia vencido a licitação com a proposta de preço de R$ 179,54 milhões.

Fonte: G1
Publicada em:: 24/04/2015

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Metrofor: contrato para a Linha Leste pode ser rescindido

11/04/2015 - O Povo - Fortaleza

O destino das obras de construção da Linha Leste do Metrô de Fortaleza pode mudar na próxima semana. Os trabalhos estão praticamente paralisados e o contrato com o grupo vencedor da licitação pode ser rescindido.

O secretário de Infraestrutura, André Macedo Facó, explica que está sendo feita uma análise jurídica e técnica da estruturação do consórcio vencedor da licitação, que encaminhou o nome de um novo parceiro para a continuidade do projeto.

Foi formalizado pedido para a entrada da companhia Zetta, que substituiria a Centeco, no consórcio formado com a espanhola Acciona. Uma análise prévia verificou a possibilidade de troca de uma das empresas no consórcio, mas o estudo está sendo aprofundado e deve ser concluído até a próxima semana, quando será apresentado um parecer final sobre o assunto.

O projeto da Linha Leste, que liga o Centro ao bairro Edson Queiroz, representa um investimento de R$ 2,3 bilhões, além de outros custos acessórios. O prazo é de cinco anos para a sua realização e as empresas responsáveis pelas obras terão que comprovar competência técnica e financeira.

PLANEJAMENTO

CAPACIDADE DO CONSÓRCIO DEVE SER COMPROVADA

O projeto da Linha Leste, segundo o secretário André Macedo Facó, não pode ser encarado como uma obra pública normal. Ele ressalta que é necessário um planejamento fino e um modelo diferente de impactos e riscos, com todos os gargalos previstos. A formação do consórcio representa uma operação financeira estruturada e a capacidade técnica das companhias precisa de comprovação. Caso a análise da Zetta e do consórcio como um todo não seja positiva, será aberta uma nova licitação para o projeto.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Metrô de Fortaleza aumenta número de viagens na linha Oeste

14/03/2012 - Governo do Ceará

Com isso, os passageiros também chegarão mais cedo em casa ao trabalho. O percurso de Fortaleza a Caucaia que era feito em 44 minutos, cairá para 38 minutos.



A Linha Oeste do Metrô de Fortaleza, que liga o Centro da Capital ao centro de Caucaia,  passou a contar, desde a última segunda-feira (12), com 46 viagens em dias úteis, 13 a mais que até a semana passada. Aos sábados, serão 45 viagens. Aos domingos e feriados, 13.  Segundo a diretoria de operações da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), as mudanças devem aumentar em 10% o número de passageiros. Atualmente, cerca de 10 mil pessoas utilizam a linha de segunda-feira à sexta-feira.

O número de trens atendendo a linha irá permanecer o mesmo (três no horário de pico e dois no horário de “vale” - quando o número de passageiros diminui). O aumento no número viagens será possível devido ao fim das obras do túnel da linha Sul no pátio do Metrofor, que, por questão de segurança, limitavam a velocidade no trecho a 5 km/h.

Com isso, os passageiros também chegarão mais cedo em casa ao trabalho. O percurso de Fortaleza a Caucaia que era feito em 44 minutos, cairá para 38 minutos. “Os trens andarão com maior velocidade e será isso que vai diminuir o tempo de viagem e o intervalo entre as chegadas dos trens às estações. Além disso, vamos ofertar mais lugares para a população. Tudo isso atrai mais pessoas”, afirma Antonio Chalita de Figueiredo, gerente de controle e tráfego.

Linha Oeste

A Linha Oeste do Metrô de Fortaleza liga o Centro da Capital ao centro de Caucaia. A linha de 19,5 quilômetros de extensão possui nove estações em funcionamento. Em 2010, tanto as estações quantos os trens foram reformados: quatro locomotivas foram modernizadas e 31 carros de passageiros receberam nova fuselagem e sistema de climatização.

A Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) investiu cerca de R$ 125 milhões nessa melhoria. Com isso, mais passageiros estão utilizando a linha. Em 2011, os trens da linha Oeste transportaram mais de 3,46 milhões de passageiros

- Hoje, os passageiros podem embarcar ou desembarcar em nove estações ao longo do trecho: João Felipe, Álvaro Weyne, Padre Andrade, Antônio Bezerra, São Miguel, Parque Albano, Conjunto Ceará, Jurema, Araturi e Caucaia.

Linha Oeste do Metrofor transportou 3,7 milhões de pessoas em 2011

17/01/2012 - Metrofor

O transporte ferroviário continua atraindo muitos passageiros pelo baixo preço da passagem e pelo conforto que oferece.

Mais de 3,7 milhões de passageiros utilizaram o transporte ferroviário no Ceará em 2011. As duas linhas em atividade da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), uma em Fortaleza e outra no Cariri, levaram 3.764.187 passageiros no ano passado. A linha Oeste, que liga o Centro de Fortaleza ao Centro de Caucaia, respondeu por 92% das passagens. Foram 3.468.787 passageiros utilizando os trens do Metrofor na Capital. No Interior, foram 295.400 pessoas transportadas.

Segundo o diretor de operação do Metrofor, Plínio Saboya Neto, o transporte ferroviário continua atraindo muitos passageiros pelo baixo preço da passagem e pelo conforto que oferece. Para utilizar o trem, o passageiro paga somente um real. O valor é subsidiado para beneficiar a população que mais utiliza esse meio de transporte, que está concentrado nas classes C e D. Plínio afirma, ainda, que outro atrativo é o conforto. O Metrofor investiu na modernização de quatro locomotivas e 31 carros de passageiros, que receberam sistema de climatização. Além disso, há muito mais seguranças dentro dos trens e nas estações para orientar o correto uso do transporte sem risco à segurança dos usuários.

No final de janeiro, seis novos carros vão entrar em operação. São seis veículos leves sobre trilhos (VLTs) que entrarão na fase de operação assistida (testes com passageiros) na linha Oeste.

Festas aquecem o setor

Os períodos de festas foram responsáveis pelos “picos” no transporte ferroviário no Ceará. Em Fortaleza, o mês que registrou o maior número de passageiros (351.632) foi dezembro. Muitos consumidores aproveitaram o trem para fazer compras no Centro de Fortaleza.

Já no Cariri, os dois meses com maior número de passageiros foram setembro (33.756) e julho (32.792). Nos dois casos, as festas religiosas elevaram a movimentação. Em julho, milhares de romeiros visitam o túmulo de Padre Cícero. Em setembro, os fiéis realizam duas festas: procissão dos carros e N. S. Das Dores.

Trens para Caucaia com ar-condicionado

28/09/2010 - Diário do Nordeste


METROFOR 


Os usuários aprovaram as reformas, mas temem que aconteçam atos de vandalismo



Os passageiros dos trens da Linha Oeste, que liga Caucaia a Fortaleza, tiveram uma grata surpresa ao encontrarem, ontem à tarde, os vagões totalmente remodelados. Ar-condicionado, novos bancos e janelas são algumas das novidades. Até agora, apenas duas composições, formadas por uma locomotiva e quatro carros cada, entraram em operação.


A Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) está recuperando, ao todo, quatro locomotivas e 31 carros. As antigas composições ferroviárias, que são da década de 1970, estão ganhando itens de conforto e segurança, encontrados hoje em Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) e metrôs de todo o mundo.


Os trens já reformados ganharam visual moderno, totalmente revestidos em fibra de vidro reforçado e pintura automotiva, além de sistema de climatização usado em veículos ferroviários de última geração.


Também foram colocadas, nas novas composições, janelas em policarbonato, mais resistentes contra atos de vandalismo; pisos em PVC/PRFV, que apresentam uma resistência mecânica mais elevada; e bancos com assentos individuais.


Foram realizadas, ainda, melhorias na iluminação e nas portas. A reforma tem como objetivo permitir ao usuário sentir um elevado grau de segurança, conforto e bem-estar, despertando o sentimento de zelo e também de preservação.


Segundo o assessor da presidência do Metrofor, Fernando Mota, toda essa remodelação custou R$ 11 milhões e, até o início do próximo ano, todos os carros e locomotivas reformados devem estar funcionando.


Integração


Mota explicou que o objetivo é realizar a integração do metrô de Fortaleza com os ônibus que circulam na Cidade. "Essa será uma boa oportunidade para os cidadãos que usam o transporte público. Também deverá desafogar o trânsito da nossa Capital".


Ele destacou que é importante a população não cometer atos de vandalismo contra os trens, como aconteceu com os outros. "As pessoas têm de se conscientizar de que elas são as beneficiadas com essas melhorias e somente elas perdem com a depredação", frisou Mota.


O comerciante Luciano Dourado aprovou as novidades encontradas no metrô. Ele afirmou que, antes, os usuários se sentiam desprotegidos no vagões devido à falta de portas e às janelas e cadeiras quebradas. "Agora, tudo isso mudou, está tudo muito melhor". Mas, alertou que isso pode mudar rapidamente. "É importante que todos zelem pelo patrimônio".


Para a professora Maciele Lima Barbosa, o destaque da reforma ficou por conta do conforto proporcionado pelo ar-condicionado e também pelos novos bancos. "Mas a entrada e saída de passageiros e a segurança também precisam ser melhoradas", afirmou a professora.


http://diariodonordeste.globo.com/ma...?codigo=858176