terça-feira, 5 de dezembro de 2017

VLT Parangaba-Mucuripe: operação assistida já beneficiou 55 mil passageiros

04/12/2017 - Governo do Ceará

Marco da Escóssia - Ascom / Seinfra 
Pedro Alves - Ascom / Metrofor 

Marcos Studart - Fotógrafo


Com quatro meses de operação assistida, o Ramal Parangaba-Mucuripe transportou gratuitamente mais de 55 mil pessoas. Em funcionamento com passageiros desde o dia 25 de julho, o serviço de transporte opera de segunda a sexta-feira, de 6h às 12h, utilizando Veículo Leve sobre Trilhos. A marca dos 55 mil passageiros transportados foi alcançada na última quarta-feira (29/11).

A dona de casa Francisca de Castro Maciel, de 55 anos, utiliza o Ramal com frequência e diz que o novo meio transporte facilitou seu dia a dia. “Eu moro na Parangaba e venho para Borges de Melo rapidinho, de graça, no conforto e em segurança. Essa nova linha ajuda bastante”, conta a passageira.

“Não tem comparação com o ônibus. O VLT é mais rápido, mais seguro e mais confortável”, relata o aposentado Francisco José de Oliveira, de 76 anos, ao andar pela primeira vez na mais nova linha de transporte de passageiros sobre trilhos. “Foi o máximo. Nunca passei por um momento tão importante como esse… eu e minhas netas passeando. É a primeira vez que uso, fiquei maravilhado”, conta ele, ao lado das netas.

Obras avançando

O trecho em operação assistida possui 5 Km de extensão e passa por 4 estações. Os demais trechos do projeto seguem em obras. A passagem inferior da avenida Borges de Melo – o chamado trecho 1, está em fase de finalização. Neste trecho, as obras estão concentradas na montagem de tirantes, escavações e concretagem das lajes de piso do túnel e já está com cerca de 84% dos trabalhos concluídos.“Logo que seja concluída essa etapa de concretagem, nós queremos liberar parte do túnel para circulação de veículos, o que vai começar a aliviar o transtorno no tráfego dessa área da cidade”, disse o Secretário de Infraestrutura, Lucio Gomes. O Trecho 3, entre as estações Borges de Melo e o Mucuripe está com cerca de 50% de obras concluídas.

Semanalmente,o gestor da Infraestrutura realiza visitas às obras da pasta e os projetos de metrô e VLT são frequentemente vistoriados. Segundo ele, até o final deste ano, “pretendemos estender a operação experimental do VLT, que está em operação assistida da Parangaba a Borges de Melo, até a estação do São João do Tauape”. Após concluído, o ramal terá 13,5 quilômetros, interligando os bairros Mucuripe e Parangaba, perpassando 22 bairros de Fortaleza, no total, abrangendo uma área que possui cerca de meio milhão de moradores.


quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Linha Oeste do Metrofor: Estação de trem de Caucaia completa um século

11/10/2017 - Metrofor

A estação de trem de Caucaia, inserida na Linha Oeste do Metrofor, completa 100 de inauguração nesta quinta-feira. A unidade foi inaugurada em 12 de outubro de 1917, em uma solenidade de reuniu comunidade, políticos e religiosos. Mapa da rede ferroviária do Ceará desenhado em 1926 registra a data de inauguração da estação Caucaia. O documento, consultado pela Assessoria de Comunicação do Metrofor, é propriedade da Associação dos Engenheiros da Rede Viação Cearense. 

A história da rede ferroviária do Ceará é objeto de estudo do pesquisador José Hamilton Pereira, engenheiro aposentado da antiga Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA). “A estação de Caucaia foi construída pela Rede de Viação Cearense, empresa de propriedade da administração federal. As pessoas se vestiam muito bem, colocavam a melhor roupa, só para ir ver o trem passar. Muitos estudantes utilizavam esse meio de transporte para se locomover dos interiores para Fortaleza”, conta Hamilton, que é um dos autores do livro Estradas de Ferro no Ceará, escrito em parceria com Francisco de Assis Silva de Lima. 

Outro pesquisador, Francisco Antônio Cavalcante de Menezes, conhecido como Padre Tula, explica que, no dia de sua inauguração, a estação de Caucaia foi benzida pelo vigário da paróquia Nossa Senhora dos Prazeres. “A estação foi inaugurada no mesmo ano da aparição de Fátima, além de ter sido inaugurada na data de Nossa Senhora Aparecida, então, houve uma grande procissão saindo da igreja matriz e terminando na estação”, explica o Padre Tula, que é historiador e sociólogo. 

Segundo ele, em 1917, Caucaia chama-se Soure e, por isso, esse foi o nome dado à estação. A pesquisa de Padre Rula também registra que estavam presentes na inauguração o então prefeito de Soure, Fausto Dário Sales, além de todos os seis vereadores que compunham a câmara municipal. Segundo Hamilton, a estação Soure foi inaugurada como parte da antiga Linha Norte, ramal que interligava as duas principais ferrovias do Ceará no início do século passado: a Estrada de Ferro de Baturité e a Estrada de Ferro de Sobral. 

Também completam aniversário de inauguração, nesta quinta-feira, a estações Antônio Bezerra e Álvaro Weyne, também da Linha Oeste. Inaugurada com o nome de Barro Vermelho, a estação Antônio Bezerra foi inaugurada na mesma data da estação Caucaia, e também completa 100 anos de inauguração. E a estação Álvaro Weyne, inaugurada em 12 de outubro de 1926, completa 91 anos. As duas passaram por reconstruções ao longo da história. A estação de trem de Caucaia é a única no sistema metroferroviário que preserva a construção original do início do século XX. 

Atualmente, a estação transporta passageiros de 5h30 às 20h30, de segunda-feira a sábado, e opera com Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). Com cerca de 26 mil embarques por mês, é uma das estações mais movimentadas de toda a Linha Oeste – perdendo apenas para a Moura Brasil, no centro de Fortaleza, que recebe cerca de 30 mil passageiros por mês.



Metrofor recebe licença ambiental para conclusão de obras da estação Padre Cícero

16/10/2017 - Metrofor

O Metrô de Fortaleza recebeu da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMACE)? licença ambiental para a continuidade das obras da Estação Padre Cícero, na avenida José Bastos. Esta que será 20º estação da Linha Sul do Metrô de Fortaleza será licitada no próximo dia 18 de outubro, às 9h, no Palácio Iracema, localizado no Centro Administrativo Bárbara de Alencar. A licença ambiental n° 222/2017 foi emitida no último dia 30 de agosto. 

Na licitação, empresas interessadas em executar as obras poderão apresentar suas propostas, considerando o teto de R$ 8.325.017,48, que inclui a conclusão da Padre Cícero e instalação de equipamentos de lazer em terreno da estação Juscelino Kubitschek. Os recursos são oriundos do tesouro estadual e de financiamento com a Caixa Econômica Federal. O contrato será feito pela Cia Cearense de Transportes Metropolitanos. 

A estação Padre Cícero está com cerca de metade das obras realizada, e fica localizada na Avenida José Bastos, entre as estações Benfica e Porangabussu, no bairro Damas, na altura do campo do Ceará. Através do contrato para término do projeto, serão construídas duas passarelas laterais, criando acessos para a estação nos dois lados da via férrea. Com isso, os pedestres que estão na Rua José Bastos ou na Avenida José Bastos terão passagem para a estação. 

As duas passarelas serão integradas, e funcionarão definitivamente como travessia sobre a via férrea. O prazo para a conclusão da estação é de 12 meses após assinatura da ordem de serviço. A nova estação criará mais uma opção de embarque e desembarque ao longo dos 24,1 km da via férrea, melhorando a mobilidade em Fortaleza e Região Metropolitana. 

Academia e quadra poliesportiva 

Além da continuação das obras da estação Padre Cícero, a licença ambiental nº 222/2017 contempla também a construção da quadra poliesportiva e academia ao ar livre no terreno ao lado da estação Juscelino Kubitschek, no bairro Demócrito Rocha. Anunciados pelo governador Camilo Santana durante o evento de inauguração da estação, em maio, os equipamentos de lazer terão uma área total de 2.025 metros quadrados. Além da academia e quadra poliesportiva, serão construídos 21 assentos de concreto e implantados 346 metros quadrados de jardim. Árvores e arbustos ornamentais como Cássia Javanesa, Pau Branco e Ixoria ajudarão no conforto térmico e na beleza da praça.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Novela sobre metrô de Fortaleza vai parar no STJ

10/10/2017 - O Globo

por Juliana Braga

Jarbas Oliveira
Jarbas Oliveira | Agência O Globo

Chegou às mãos do ministro Gurgel de Faria, do STJ, o imbróglio em torno da ampliação do metrô de Fortaleza. A Cetenco, construtora paulista que deixou a obra depois de 6 meses sem receber, cobra na Justiça os R$ 40 milhões que gastou no empreendimento.

O governo do Ceará criou um novo consórcio para tocar a obra e não quer pagar os atrasados. A construtora pede que seja respeitada a ordem cronológica dos pagamentos - primeiro deve-se quitar o passivo atrasado antes de pagar qualquer coisa ao novo consórcio.

O caso foi distribuído para Gurgel de Faria na quinta-feira e ele já solicitou parecer do Ministério Público Federal sobre o caso. A obra, orçada em R$ 2,3 bilhões, está parada desde fevereiro de 2015 e avançou apenas 1%. É a maior licitação pública em andamento no país.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Metrofor: em fase de melhorias operacionais, Linha Sul registra crescimento de fluxo de passageiros

05/10/2017 - Assessoria de Comunicação da Cia Cearense de Transportes Metropolitanos 

Pedro Alves 

Tiago Stille - Foto
Repetindo a tendência de anos anteriores, a Linha Sul do Metrô de Fortaleza registrou crescimento no número de passageiros nos dois primeiros quadrimestres deste ano.

Repetindo a tendência de anos anteriores, a Linha Sul do Metrô de Fortaleza registrou crescimento no número de passageiros nos dois primeiros quadrimestres deste ano.

Repetindo a tendência de anos anteriores, a Linha Sul do Metrô de Fortaleza registrou crescimento no número de passageiros nos dois primeiros quadrimestres deste ano. Considerando de janeiro a agosto de 2017, o crescimento foi de 9%, saindo de 3.060.032 passageiros em 2016, para 3.915.658 pessoas transportadas no mesmo período deste ano. No ano passado, a Linha Sul teve fluxo de passageiros 17% maior em relação ao período de janeiro a dezembro de 2015.

“Com o crescimento dos investimentos em equipamentos e sistemas, há uma sensível melhora operacional do metrô, consolidando-o como uma opção de transporte rápida, acessível, segura, confortável e competitiva no preço. Com a redução dos intervalos entre os trens e a consequente facilidade de integração com os ônibus, nós teremos ampliadas as opções de mobilidade na Região Metropolitana de Fortaleza”, avalia o diretor-presidente do Metrofor, Eduardo Hotz.

Desde 2015, a Cia Cearense de Transportes Metropolitanos realiza projetos que já resultaram em benefícios para os usuários. Somente neste ano, o horário de atendimento passou por duas ampliações e hoje a Linha Sul atende de 5h30 até 21h – e a meta é alcançar operação até 23h30. O intervalo entre os trens, em todas as estações, foi reduzido de 20 para 17 minutos, e a oferta de trens à população aumentou, com a inserção de mais dois trens elétricos na frota operacional, totalizando, agora, cinco composições, o que resulta em maior conforto nas viagens.

Além disso, o sistema de bilhetagem eletrônica é uma realidade, e os pagantes de passagem inteira e meia passagem já desfrutam dos benefícios do Cartão do Metrofor. Também foram contratados 148 novos profissionais para reforçar o funcionamento da Sul e possibilitar a operação do Ramal Parangaba-Mucuripe, que começou neste ano o atendimento com passageiros. Desde 25 de julho até hoje, mais de 30 mil pessoas já utilizaram o Ramal, que opera em horários e trechos restritos, de segunda a sábado, de 6h às 12h, entre as estações Borges de Melo e Parangaba, compreendendo 5km de operação assistida, com embarque gratuito. Desde 2/10, a operação assistida passou a contar com dois Veículo Leve sobre Trilhos (VLTs), e passou a utilizar as duas vias da linha, ampliando a capacidade de transporte do modal.

A tendência é que, com o avanço das obras e a ampliação da Operação, os dois sistemas – Linha Sul e Parangaba-Mucuripe – registrem crescimento de passageiros, devido à integração física entre eles, na Parangaba. Devido á esta integração, as possibilidades de deslocamentos dos passageiros aumentam, tanto para quem embarca na Linha Sul, como para quem acessa o Ramal Parangaba-Mucuripe. Com isso, as duas linhas passam a ampliar suas áreas de atendimento.

Automatização
Para os próximos meses, a Cia Cearense de Transportes Metropolitanos planeja novas reduções no tempo de espera pelo metrô. Isso será possível com a implantação do Sistema de Sinalização e Controle, que está em fase avançada de implantação.

Este módulo é constituído por um conjunto de equipamentos e softwares que controlarão automaticamente diversos parâmetros operacionais, como velocidade, distância entre os trens e a programação de paradas e partidas nas estações. Seu funcionamento vai automatizar a operação da Linha Sul. A previsão é de que esse sistema comece a operar ainda no primeiro semestre de 2018, possibilitando redução do intervalo entre os trens.

Serviço

Linha Sul do Metrô de Fortaleza
Segunda a sábado, de 5h30 às 21h
R$ 3,20 (inteira) | R$ 1,60 (meia)
24,1 Km de extensão
Atende Fortaleza, Maracanaú e Pacatuba

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Estado já trabalha concessões para Aracati e Jeri

03/08/2017 - Diário do Nordeste

Edital relativo ao VLT e à Linha Sul do Metrofor está em análise no TCE, que será concluída até setembro deste ano

Image-0-Artigo-2277818-1
No Fórum de Negócios do Ibef-CE, realizado na noite de ontem, Maia Júnior tratou das concessões e do plano estratégico Ceará 2050 ( Foto: Helene Santos )

Dentre os ativos que o governo do Estado irá conceder à iniciativa privada, devem sair na frente equipamentos como o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e Linha Sul do Metrô de Fortaleza (Metrofor), além do Centro de Eventos do Ceará (CEC). Paralelamente, o Estado já se mobiliza para conceder outros equipamentos. Os próximos da lista incluem dois terminais aeroportuários regionais no Ceará.

"Estamos trabalhando os editais para os aeroportos de Aracati e Jericoacoara", disse ontem o titular da Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), Maia Júnior. O secretário, que palestrou ontem à noite durante a segunda edição deste ano do Fórum de Negócios do Instituto Brasileiro de Finanças do Ceará (IBEF-CE), no Hotel Gran Marquise, não falou em previsões de quando os certames relativos aos dois aeroportos serão lançados.

O edital do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) relativo ao VLT e à Linha Sul do Metrofor foi enviado para análise pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) na semana passada. O prazo para que o órgão finalize essa etapa é 30 dias. Depois disso, o edital será lançado. "A informação que temos é que a analise está fluindo bem", destacou Maia Júnior.

O PMI irá selecionar qual empresa irá realizar estudos para a modelagem da concessão dos dois equipamentos. Depois, será lançado outro certame para realizar a concessão do VLT e da Linha Sul à iniciativa privada.

No caso do Centro de Eventos, o edital para a concessão ainda será enviado para apreciação do Tribunal de Contas do Estado. "Já era para ter ido nesta semana, mas o secretário Arialdo Pinho (Turismo) viajou, e estamos aguardando a liberação da Setur para os últimos ajustes", disse o titular da Seplag.

O secretário ainda disse que está "trabalhando para lançar o edital de alguns imóveis que o Estado tem até o fim deste ano", referindo-se à concessão de terrenos. O secretário já havia destacado alguns deles, como os da Cavalaria, do Centro de Convenções e da Expoece.

"Até o fim do ano, queremos concluir os trabalhos das placas solares", acrescentou Maia Júnior, referindo-se a terrenos do Eixão das Águas e da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) para a instalação dos equipamentos de energia.

Evento

No Fórum de Negócios do Ibef-CE, Maia Júnior tratou das concessões e do plano estratégico Ceará 2050. "O objetivo é trazer esclarecimentos para as pessoas, para a sociedade, para empresários, acerca dos movimentos que têm sido feitos no governo", disse o presidente do Ibef-CE, Raul dos Santos. "O secretário veio apresentar para gente quais são as oportunidades de negócios", acrescentou.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Usuários aprovam testes do VLT

02/08/2017 - Diário do Nordeste
  
O trecho possui 5Km de extensão e as movimentações que seguem da primeira até a última estação estão durando, em média, 15 minutos ( Foto: Natinho Rodrigues )

Após uma semana do início da operação assistida do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), parte dos usuários já toma o modal como um meio de transporte consolidado e necessário para o deslocamento diário. Apesar de anos de espera - devido a promessa de entrega para 2014 - alguns passageiros avaliam positivamente o serviço prestado no trecho 2, que liga as estações Borges de Melo e Parangaba.

Inaugurado na última terça-feira (25), a operação é uma fase de testes que permite os ajustes finais do equipamento, e de ambientação, por parte dos usuários. O serviço prestado - disponível gratuitamente para a população, por enquanto - também servirá para mensurar o valor o qual o bilhete custará. O modal funciona de segunda a sexta, das 6 às 12 da manhã.

O trecho possui cinco quilômetros de extensão e as movimentações que seguem da primeira até a última estação estão durando, em média, 15 minutos, contando com o tempo levado para embarque e desembarque dos passageiros. No total, o trecho 2 compreende as estações da Borges de Melo, Vila União, Montese e Parangaba.

Integração

Quem está presente na última estação citada, também pode usufruir da integração entre os transportes. Os passageiros que usam o VLT também têm acesso à estação Sul do metrô e ao terminal de ônibus urbano.

A dona de casa Raimunda Santana, 55, que chegou à estação após sair do Terminal da Parangaba, destacou que o tempo de duração é uma das principais vantagens. "O VLT facilita o deslocamento porque é rápido, além de ser equipado com ar-condicionado e aparentar ser mais seguro. Se continuar assim, será ótimo para a população", diz. Já José Maria Saraiva, 46, encontrou a integração entre o ônibus e VLT como uma alternativa ao veículo particular. Para ele, o serviço prestado é de boa qualidade; entretanto, ressaltou que ficará melhor com a disponibilização de mais um trem. "Como só tem uma máquina funcionando, às vezes demora meia hora para o transporte chegar, mas, no geral, está tudo tranquilo", afirma.

Durante o anúncio da operação assistida, foi pontuado que a fase de testes contariam com três trens, sendo dois em circulação e um na reserva. No entanto, apenas um dos transportes está em atividades, enquanto o segundo continua estacionado na estação Borges de Melo. Conforme nota da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), "como a obra ainda está em fase de conclusão, apenas uma via está em funcionamento, tornando possível a circulação apenas de um trem".