quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Estado já trabalha concessões para Aracati e Jeri

03/08/2017 - Diário do Nordeste

Edital relativo ao VLT e à Linha Sul do Metrofor está em análise no TCE, que será concluída até setembro deste ano

Image-0-Artigo-2277818-1
No Fórum de Negócios do Ibef-CE, realizado na noite de ontem, Maia Júnior tratou das concessões e do plano estratégico Ceará 2050 ( Foto: Helene Santos )

Dentre os ativos que o governo do Estado irá conceder à iniciativa privada, devem sair na frente equipamentos como o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e Linha Sul do Metrô de Fortaleza (Metrofor), além do Centro de Eventos do Ceará (CEC). Paralelamente, o Estado já se mobiliza para conceder outros equipamentos. Os próximos da lista incluem dois terminais aeroportuários regionais no Ceará.

"Estamos trabalhando os editais para os aeroportos de Aracati e Jericoacoara", disse ontem o titular da Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), Maia Júnior. O secretário, que palestrou ontem à noite durante a segunda edição deste ano do Fórum de Negócios do Instituto Brasileiro de Finanças do Ceará (IBEF-CE), no Hotel Gran Marquise, não falou em previsões de quando os certames relativos aos dois aeroportos serão lançados.

O edital do Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) relativo ao VLT e à Linha Sul do Metrofor foi enviado para análise pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) na semana passada. O prazo para que o órgão finalize essa etapa é 30 dias. Depois disso, o edital será lançado. "A informação que temos é que a analise está fluindo bem", destacou Maia Júnior.

O PMI irá selecionar qual empresa irá realizar estudos para a modelagem da concessão dos dois equipamentos. Depois, será lançado outro certame para realizar a concessão do VLT e da Linha Sul à iniciativa privada.

No caso do Centro de Eventos, o edital para a concessão ainda será enviado para apreciação do Tribunal de Contas do Estado. "Já era para ter ido nesta semana, mas o secretário Arialdo Pinho (Turismo) viajou, e estamos aguardando a liberação da Setur para os últimos ajustes", disse o titular da Seplag.

O secretário ainda disse que está "trabalhando para lançar o edital de alguns imóveis que o Estado tem até o fim deste ano", referindo-se à concessão de terrenos. O secretário já havia destacado alguns deles, como os da Cavalaria, do Centro de Convenções e da Expoece.

"Até o fim do ano, queremos concluir os trabalhos das placas solares", acrescentou Maia Júnior, referindo-se a terrenos do Eixão das Águas e da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) para a instalação dos equipamentos de energia.

Evento

No Fórum de Negócios do Ibef-CE, Maia Júnior tratou das concessões e do plano estratégico Ceará 2050. "O objetivo é trazer esclarecimentos para as pessoas, para a sociedade, para empresários, acerca dos movimentos que têm sido feitos no governo", disse o presidente do Ibef-CE, Raul dos Santos. "O secretário veio apresentar para gente quais são as oportunidades de negócios", acrescentou.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Usuários aprovam testes do VLT

02/08/2017 - Diário do Nordeste
  
O trecho possui 5Km de extensão e as movimentações que seguem da primeira até a última estação estão durando, em média, 15 minutos ( Foto: Natinho Rodrigues )

Após uma semana do início da operação assistida do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), parte dos usuários já toma o modal como um meio de transporte consolidado e necessário para o deslocamento diário. Apesar de anos de espera - devido a promessa de entrega para 2014 - alguns passageiros avaliam positivamente o serviço prestado no trecho 2, que liga as estações Borges de Melo e Parangaba.

Inaugurado na última terça-feira (25), a operação é uma fase de testes que permite os ajustes finais do equipamento, e de ambientação, por parte dos usuários. O serviço prestado - disponível gratuitamente para a população, por enquanto - também servirá para mensurar o valor o qual o bilhete custará. O modal funciona de segunda a sexta, das 6 às 12 da manhã.

O trecho possui cinco quilômetros de extensão e as movimentações que seguem da primeira até a última estação estão durando, em média, 15 minutos, contando com o tempo levado para embarque e desembarque dos passageiros. No total, o trecho 2 compreende as estações da Borges de Melo, Vila União, Montese e Parangaba.

Integração

Quem está presente na última estação citada, também pode usufruir da integração entre os transportes. Os passageiros que usam o VLT também têm acesso à estação Sul do metrô e ao terminal de ônibus urbano.

A dona de casa Raimunda Santana, 55, que chegou à estação após sair do Terminal da Parangaba, destacou que o tempo de duração é uma das principais vantagens. "O VLT facilita o deslocamento porque é rápido, além de ser equipado com ar-condicionado e aparentar ser mais seguro. Se continuar assim, será ótimo para a população", diz. Já José Maria Saraiva, 46, encontrou a integração entre o ônibus e VLT como uma alternativa ao veículo particular. Para ele, o serviço prestado é de boa qualidade; entretanto, ressaltou que ficará melhor com a disponibilização de mais um trem. "Como só tem uma máquina funcionando, às vezes demora meia hora para o transporte chegar, mas, no geral, está tudo tranquilo", afirma.

Durante o anúncio da operação assistida, foi pontuado que a fase de testes contariam com três trens, sendo dois em circulação e um na reserva. No entanto, apenas um dos transportes está em atividades, enquanto o segundo continua estacionado na estação Borges de Melo. Conforme nota da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), "como a obra ainda está em fase de conclusão, apenas uma via está em funcionamento, tornando possível a circulação apenas de um trem".

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Em Brasília, Camilo tenta liberação de recursos para a Linha Leste do Metrô de Fortaleza

26/07/2017 - Diário do Nordeste

Governador se reuniu nesta quarta-feira (26) com o presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, para tratar sobre a retomada das obras do equipamento

Image-0-Artigo-2222864-1
Iniciadas em novembro de 2013, as obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza foram paralisadas no início de 2015 ( Foto: Cid Barbosa )

Paralisadas desde o início de 2015, as obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza foram a pauta de uma reunião realizada nesta quinta-feira (26), em Brasília, entre o governador do Ceará, Camilo Santana, e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro. O gestor estadual tenta junto à instituição financeira a liberação de recursos para a retomada das obras, que, com os seguidos atrasos que enfrenta, só deve ser concluída em 2019.

Para tocar a obra, iniciada em novembro de 2013, o Estado tem um financiamento de R$ 1 bilhão aprovado junto ao banco, mas aguarda a liberação dos recursos para a retomada dos trabalhos. Em fevereiro último, Camilo já havia se reunido com a então presidente do BNDES, Maria Sílvia Bastos, para tratar sobre o assunto, mas, até o momento, os recursos não foram liberados.

“O presidente (Paulo Rabello) se mostrou muito receptivo ao nosso pleito e se dispôs a colocar essa liberação dos recursos como prioridade e como objetivo para o banco”, afirmou o governador, após a reunião. "Já conversei com a bancada cearense, com os senadores, para que possamos fazer um apelo para o governo federal liberar esses recursos", complementou.

A obra

A Linha Leste da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) recebe recursos do programa Mobilidade Grandes Cidades, do governo federal, de cerca de R$ 1 bilhão; e financiamento do BNDES, também de R$ 1 bilhão, aproximadamente. A contrapartida do Governo do Ceará é de R$ 259,22 milhões. Cerca de R$ 50 milhões já foram investidos na obra.

Iniciadas em novembro de 2013, as obras da Linha Leste do Metrô de Fortaleza foram paralisadas no início de 2015 por conta da reformulação societária articulada pelo consórcio. A expectativa inicial era que parte do equipamento fosse entregue em 2014, o que não ocorreu, sendo a nova data de conclusão prevista para 2019.

Quando concluída, a Linha Leste do Metrô de Fortaleza terá 13,2 km de extensão, sendo 12,4 km subterrâneos e 0,8 km em superfície, ligando o Bairro Tirol, passando pelo Centro até o Bairro Edson Queiroz. A linha, que está sendo implantada pelo Governo do Estado, por meio da Seinfra, tem previsão de atender cerca de 400 mil usuários por dia, quando integrado aos demais modais de transporte.

terça-feira, 25 de julho de 2017

VLT de Fortaleza inicia operação assistida nesta terça com viagens grátis

24/07/2017 - G1 CE

Trecho faz parte do Ramal Parangaba/Mucuripe que se integrará com as linhas Sul e Leste e, indiretamente, com a Linha Oeste, cruzando 22 bairros.

Estação Parangaba do VLT (Foto: Seinfra/Divulgação)
Estação Parangaba do VLT (Foto: Seinfra/Divulgação) 

A Operação Assistida do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no trecho das estações Borges de Melo a Parangaba terá início nesta terça-feira (25). De acordo com a Secretaria de Infraestrutura do Ceará (Seinfra), o trecho faz parte do Ramal Parangaba/Mucuripe que se integrará com as linhas Sul e Leste e, indiretamente, com a Linha Oeste, cruzando 22 bairros.

São 13 km de via dupla, sendo 1,5 km de via elevada e 10 estações. Quando concluído, a demanda prevista é de 90.000 passageiros por dia.

O governador do Ceará, Camilo Santana, dará início à utilização do sistema, com saída prevista para 8h30min da Estação Borges de Melo, perfazendo o trajeto entre as estações Borges de Melo, Vila União, Montese e terminando em Parangaba.

Por se tratar de uma Operação Assistida, não haverá cobrança de passagem nesta fase. O sistema funcionará, no período, entre as 8h e 12h, de segunda a sexta-feira.

O trecho em Operação Assistida tem cinco quilômetros de extensão, compreende quatro estações e vai ligar a Parangaba ao Bairro de Fátima, passando pela Vila União, Itaoca e Montese. Para a operação, serão utilizados três trens – dois na via e um de reserva. Neste primeiro momento o VLT se integrará com o Metrô de Fortaleza e transporte rodoviário urbando, através da estação da Linha Sul e terminal, ambos no bairro Parangaba.

O início da Operação Assistida representa um avanço nas obras do trecho 2 (Parangaba – Borges de Melo) do VLT, que operava em fase experimental, sem passageiros, desde setembro do ano passado. Com 96% de execução, o trecho já está em fase de conclusão.

Além do trecho 2, as obras seguem no trecho 1, que corresponde à passagem inferior da Borges de Melo e já alcança cerca de 70% execução, com entrega prevista para setembro deste ano. Já no trecho 3, que fica entre as estações Borges de Melo e Iate, as obras vão passar por nova licitação nos dias 17 e 18 de agosto, para acelerar a conclusão.

Atrasos e paralisações nas obras

O VLT estava previsto inicialmente para ser inaugurado em 2014, a tempo de ser usado na Copa do Mundo, mas sofreu uma série de atrasos, e o então governador do Ceará, Cid Gomes, rompeu o contrato com a empresa responsável.

Foram iniciado um novo processo de licitação para contratar uma nova empresa, que concluiu a obra do VLT com três anos de atrasos.


domingo, 23 de julho de 2017

Metrofor estabelece prazo para troca de bilhetes de papel por cartão eletrônico

22/07/2017 - Diário do Nordeste

Para fazer a mudança, é necessário levar os bilhetes para entrega, CPF e um documento de identificação com foto.

Metrô
Desde o dia 19 de julho as estações da Linha Sul não recebem mais bilhetes de papel para pagamento de passagem inteira. ( Foto: Divulgação )

Usuários do metrô de Fortaleza que ainda possuem bilhetes de papel terão prazo de 24 a 31 de julho para trocar os antigos bilhetes pelo cartão eletrônico. O procedimento para troca será feito na sede da Cia Cearense de Transportes Metropolitanos, de 8h às 12h e de 13h às 17h. Para fazer a transição, é necessário levar os bilhetes para entrega, CPF e um documento de identificação com foto. A empresa receberá os bilhetes e o cidadão assinará um Termo de Devolução, declarando a legalidade dos bilhetes e a quantidade exata de passagens devolvidas.

Os bilhetes serão analisados verificando-se a originalidade, ponto de venda e suas condições físicas. Após isso, os cartões eletrônicos serão entregues aos cidadãos que devolveram bilhetes inteiros, originais e comprados nas bilheterias do metrô. Bilhetes identificados como falsos ou adquiridos fora das estações do metrô serão rejeitados.

Período de Espera

Poderá ser trocada qualquer quantidade de bilhetes e não serão cobradas taxas ou quaisquer valores pela troca ou aquisição do cartão. A assessoria de comunicação da empresa esclareceu que durante o período de espera para receber o cartão eletrônico com os créditos, os passageiros terão que comprar passagens normalmente. 

Finalizado o período de devoluções, os cidadãos interessados devem aguardar a divulgação do prazo para a entrega dos cartões. O comunicado será feito nos trens, estações, site e Facebook da Cia Cearense de Transportes Metropolitanos.

Estudantes e Idosos

Desde o dia 19 de julho as estações da Linha Sul não recebem mais bilhetes de papel para pagamento de passagem inteira. Temporariamente, estudantes e idosos com direito a gratuidade continuam utilizando os bilhetes de papel, mas, segundo nota divulgada pela empresa, a logística para o cadastramento, as regras e os prazos estão em fase de desenvolvimento e serão apresentados posteriormente.

Serviço:

Troca de bilhetes de papel por cartão do Metrofor com créditos
Data:  24 a 31 de julho
Horário:  8h às 12h e de 13h às 17h
Local: Sede do Metrofor, acesso pela Rua 24 de Maio, nº 60, ao lado da Biblioteca Pública e da Estação João Felipe (Praça da Estação – Centro de Fortaleza)
O que levar: bilhetes a serem trocados, documento de identidade com foto e CPF.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Nova licitação vai acelerar obra do VLT Parangaba-Mucuripe

14/07/2017 - Ceará Agora

A Secretaria da Infraestrutura do Estado – SEINFRA vai fazer uma nova licitação para finalizar o trecho 3 (entre as avenidas Borges de Melo e Abolição) da obra de implantação do ramal Parangaba-Mucuripe, do Veículo Leve sobre Trilhos – VLT, que será operado pelo Metrofor. O novo certame será necessário, por conta do distrato com o consórcio VLT Fortaleza, formado pelas empresas AZVI S.A do Brasil e Construtora e Incorporadora Squadro Ltda. 

A rescisão se fez necessária por conta do descumprimento do contrato por parte do consórcio construtor, apesar do esforço do Governo do Estado no sentido de dar celeridade aos trabalhos. A dissolução do contrato (Distrato) está prevista na Lei de Licitações (Lei n.º 8.666 de 21 de junho de 1993) e está publicada no Diário Oficial do Estado – DOE desta quinta-feira (13). 

O distrato não representa paralisação total nas obras do trecho 3. A SEINFRA manterá movimentação no trecho, principalmente com a sequência da instalação de gradis e demolições, além dos trabalhos de remoção de imóveis da faixa de domínio e remanejamento de redes das concessionárias de serviços públicos. As obras nos trechos 1 e 2 continuam normalmente. 

Avanços na obra 

Desde a retomada da obra do ramal Parangaba-Mucuripe, em 2015, o objetivo do Governo do Ceará tem sido colocar o VLT pra funcionar, ligando pontos de forma contínua, favorecendo o deslocamento da população. O trecho 1 representa a passagem inferior da Borges de Melo, que já alcança cerca de 70% de obra concluída, com entrega prevista para setembro deste ano. 

O trecho 2, que liga as estações Parangaba e Borges de Melo, já está praticamente pronto, com 96% de execução. Esse trecho já está em operação experimental e, em breve (25/07) vai começar com a operação assistida, com o transporte de passageiros de forma gratuita. No trecho 3, as obras também tiveram avanços significativos e em locais de difícil acesso como a comunidade Aldaci Brabosa, no Bairro de Fátima e na área do Lagamar. 

A implantação do VLT Parangaba-Mucuripe é uma obra que demanda um número significativo de remoções. Hoje a maior parte delas se concentra no trecho 3, em bairros como Mucuripe, Varjota e Dionísio Torres. O Governo sempre se preocupou em fazer todo o processo da melhor forma possível, inclusive criando uma lei própria que baliza as negociações e define os direitos das famílias removidas. Dar continuidade a esse processo, de forma célere e justa também está sendo um dos focos do Governo neste empreendimento. Prova disso é que, apenas de fevereiro a junho de 2017, foram empregados cerca de R$ 20 milhões em indenizações e pagamento de aluguel social. 

Saiba mais 

Quando finalizado, o VLT terá 13,4 quilômetros ligando os bairros Mucuripe e Parangaba. Desta extensão, serão 12 quilômetros em superfície e 1,4 quilômetro de trechos elevados. O Ramal atravessará 22 bairros, área que concentra mais de 500 mil moradores de Fortaleza. A previsão de demanda potencial do novo modal é de 90.000 passageiros por dia.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Passageiros do metrô de Fortaleza passam a usar bilhetes recarregáveis

12/07/2017 - G1 CE

Cartões estão disponíveis gratuitamente aos usuários que comprarem a partir de duas passagens de uma só vez.

Metrô de Fortaleza passa a utilizar sistema de cartões recarregáveis. (Foto: André Teixeira/G1)
Metrô de Fortaleza passa a utilizar sistema de cartões recarregáveis. (Foto: André Teixeira/G1)

Os passageiros da linha sul do metrô de Fortaleza têm agora a possibilidade de comprar passagens em cartões recarregáveis, utilizando o cartão do Metrofor, inserindo qualquer quantia em créditos. A medida busca diminuir o tempo de utilização do modal, já que dispensa a ida à bilheteria todas as vezes que o serviço for utilizado.

Desde a segunda-feira (10) os cartões recarregáveis entraram em circulação. Antes disso eram distribuídos cartões com passagem única, que não possibilitava a recarga e eram recolhidos pela catraca no ato de acesso à plataforma.

O novo cartão recarregável será entregue aos usuários que solicitarem a partir de duas passagens e permanecerá de posse do passageiro depois de passar pela catraca. Aqueles que adquirirem apenas um bilhete continuarão recebendo o tíquete único, recolhido pela catraca eletrônica.

Utilização

A distribuição do cartão recarregável é gratuita, necessitando apenas que o usuário compre duas ou mais passagens e solicite qualquer valor em crédito, a partir de R$ 3,20. A cada embarque realizado, o valor da passagem inteira (R$ 3,20) será debitado do cartão. Caso a quantia em créditos no cartão seja menor que o valor da passagem, é necessário fazer uma nova recarga. Cada recarga tem validade de seis meses.

A princípio, o sistema de bilhetagem eletrônica opera somente para os pagantes das passagens inteiras. A assessoria de imprensa do Metrofor informa que ajustes técnicos estão sendo concluídos para que o cartão do Metrofor seja disponibilizado aos idosos (gratuidade) e aos estudantes (meia passagem). Por enquanto, esses passageiros devem continuar utilizando o bilhete de papel.