quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

VLT Fortaleza: Obras paradas há nove meses geram cenários de abandono

25/02/2015 - Diário do Nordeste - Fortaleza

"O sonho de todo mundo aqui é ver esse trem funcionando". A frase é do comerciante Benedito Bezerra, morador do bairro Vila União, mas resume a expectativa de milhares de fortalezenses em relação ao Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT). A esperança, contudo, logo acaba quando se vê o estado de abandono em que se encontram as obras, paradas há cerca de nove meses após o cancelamento do contrato firmado pelo Governo do Estado com o consórcio responsável pelas intervenções.

O trabalho continua sem previsão de retorno, situação que se prolonga desde então, e, enquanto isso, as estruturas já construídas enfrentam a falta de manutenção. Das oito estações inclusas no projeto do transporte, apenas uma, situada na Avenida Borges de Melo, foi concluída. No entanto, com a suspensão das obras, hoje o local está esquecido. O exterior da plataforma foi completamente tomado pelo matagal, que quase cobre os tapumes ainda não retirados. O espaço também teve o piso danificado, não se sabe se resultado da ausência de conservação ou da ação de criminosos, ambas relatadas por quem vive no entorno. "Os vagabundos levaram um monte de ferro que ficou por aí quando as obras pararam", diz Benedito Bezerra.

Segurança

Na manhã de ontem, um vigilante fazia a guarda do local. Segundo ele, a segurança é necessária para evitar o roubo de partes da estrutura, situação registrada em estações próximas. "Se não tivesse a gente aqui, acho que teriam levado tudo", conta o profissional.

Em outras duas plataformas, implantadas nos bairros Aldeota e Papicu, os canteiros de obras vazios revelam os trabalhos inacabados, suspensos ainda em estágio inicial. As construções, já repleta de pichações, tornaram-se, ainda, grandes depósitos de materiais de construção abandonados e de lixo, deixado pela população no local.

As obras do VLT estão paralisadas desde junho do ano passado, em decorrência do descumprimento de contrato por parte do consórcio construtor, segundo a Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra). Antes disso, no entanto, o trabalho já era marcado pela lentidão. As intervenções deveriam ter sido entregues para a Copa do Mundo de 2014, mas a um mês do início do evento, apenas 50% do projeto estava concluído.

Licitações

Conforme a Seinfra, a retomada das obras continua sem previsão. Nos últimos meses, duas licitações foram realizadas para dar continuidade ao serviço, mas as empresas concorrentes não atenderam aos requisitos do Governo do Estado. Agora, a Pasta afirma que um novo certame está sendo discutido.

A Secretaria informou, por nota, que a vigilância das plataformas é feita pela Polícia Metroviária ao longo de todo o trajeto do ramal, em convênio com o Metrô de Fortaleza (Metrofor). Ainda de acordo com o órgão, denúncias de ações criminosas devem ser comunicadas para a Ouvidoria do Estado do Ceará, por meio do telefone 155.

O VLT ligará o Mucuripe à Parangaba, em um percurso de 12,7 Km que passará por 22 bairros. O projeto prevê a construção de oito estações: Parangaba, Papicu, Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira e Mucuripe. Conforme a Seinfra, a estimativa é que o modal transporte até 90 mil passageiros por dia.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Linha Sul transportou mais de 800 mil em dois meses

05/12/2014 - Metrofor

Atualmente as equipes do Metrofor trabalham para ter quatro trens na linha durante o horário comercial, melhorando o conforto e reduzindo o tempo de espera

Nos dois primeiros meses de operação comercial a Linha Sul do Metrô de Fortaleza transportou quase 840 mil passageiros. São trabalhadores, estudantes e idosos que veem no serviço metroviário um meio rápido, seguro e confortável de transporte. A partir das 6h30, quando as estações são abertas, o fluxo de passageiros parte de estações como Carlito Benevides, Jereissati e Maracanaú. No começo da tarde até o fechamento das estações, às 19 horas, o fluxo parte de estações como Benfica, José de Alencar e Parangaba.

Atualmente as equipes do Metrofor trabalham para ter quatro Trens Unidade Elétrica (TUE´s) diariamente, fazendo com que o tempo de espera na estação seja de 19 minutos, de segunda-feira a sábado. Cada composição formada por seis carros pode transportar nos horários de pico, em uma única viagem, aproximadamente 900 pessoas. O número equivale a quase 12 ônibus convencionais que transportam, em média, 75 passageiros por viagem.

A passagem da Linha Sul, que vai da estação Carlito Benevides, em Pacatuba, para a estação Chico da Silva, no Centro de Fortaleza, é de R$ 2,20 a inteira e R$ 1,10 a meia passagem. Idosos, pessoas com deficiência não pagam a passagem metroviária, bastando se dirigir à bilheteria na estação para assegurar a gratuidade.

Melhorias

Enquanto a Linha Sul segue na operação comercial, a Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) trabalha para melhorar a qualidade dos serviços. Licitações dos sistemes de comunicação, bilhetagem, telecomunicações e sinalização estão em andamento. Quando os equipamentos e serviços forem implantados, a quantidade de trens será aumentada, reduzindo o tempo de espera pelos trens entre três e seis minutos nas estações. A oferta do serviço também será incrementada, com abertura das estações às 5h30 e fechamento às 23 horas.
 
Saiba mais
 
A Linha Sul liga Fortaleza a Pacatuba. O sistema conta com 24,1 km de extensão em via dupla, sendo 18 km de superfície, 3,9 km subterrâneos e 2,2 km em elevado. Atualmente 18 estações estão em funcionamento. A operação comercial teve início em primeiro de outubro de 2014. Antes a Linha Sul operava de forma assistida, com horário reduzido de serviços.
 
Endereço das estações
 
Estação Endereço
 
Chico da Silva Rua Padre Mororó, Centro
 
José de Alencar Av. Tristão Gonçalves, S/N, esquina rua Liberato Barroso
 
São Benedito Av Tristão Gonçalves, esquina rua Clarindo de Queiroz
 
Benfica Av Carapinima 2087
 
Padre Cícero Em construção, atras do campo do Ceará
 
Porangabussu Rua Prof Costa Mendes, S/N, entre a av. José Bastos e rua Machado de Assis
 
Couto Fernandes Av. Américo Barreira, 4601 C. Fernandes
 
Juscelino Kubitschek - (Em construção), entre av João Pessoa e rua Ceará, próximo ao
bar avião
 
Parangaba Rua Dom Pedro II, 91 Parangaba
 
Vila Peri Rua Cônego de Castro, 1387 Vila Peri
 
Manoel Sátiro Rua Manoel Sátiro, 529 Vila Manoel Sátiro
 
Mondubim Rua Manoel Sátiro, 1159 Mondubim
 
Conj. Esperança Av. Penetração Norte, 235 C. Esperança
 
Aracapé Linha Férrea, 2611 Aracapé
 
Alto Alegre Linha Férrea, s/n Alto Alegre
 
Rachel de Queiroz Av. Central, s/n Acaracuzinho
 
Vírgilio Távora Rua 20, Novo Maracanaú
 
Maracanaú Rua Henrique Mendes, s/n Centro
 
Jereissati Linha Férrea S/N
 
Carlito Benevides Rua 17, 01 Bom Futuro Vila das Flores

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Retomada do VLT de Fortaleza tem única proposta

10/12/2014 - G1 CE

Apenas uma empresa apresentou nesta quarta-feira (10) à Central de Licitações do Estado (CCC) a proposta para assumir a retomada das obras do Ramal Parangaba-Mucuripe pelo Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

De acordo com o edital da licitação, a Sultepa Construções e Comércio Limitada, terá até sexta-feira (12) para confirmar a proposta de preço, que foi de R$145,249.800,70 milhões.
A conclusão das obras do VLT havia sido prometida inicialmente para o período da Copa do Mundo, em junho deste ano, e foi paralisada após rompimento de contrato com a empresa responsável, que atrasou o andamento das obras. As obras do VLT  em Fortaleza estão 50% prontas, segundo o Governo do Estado.

Uma nova licitação foi promovida em agosto de 2014 e recebeu uma proposta do consórcio VLT-Fortaleza, formado pelas empresas de engenharia Marquise e Engesol. A proposta não foi aceita após analisada por técnicos da Seinfra.

O novo modelo de proposta de contratação permite contratações públicas mais rápidas e eficientes para obras beneficiadas com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), como é o caso do VLT. Por esse método vence a empresa que apresentar o lance de menor valor global.  Como somente uma empresa apresentou proposta, caso a documentação seja aprovada, a licitante poderá assinar o contrato. O secretário de Infraestrutura do Estado, Adail Fontenele, afirmou que espera que os trabalhos sejam retomados no início de 2015.

A empresa licitante deverá entregar a documentação à Procuradoria Geral do Estado - PGE em cópia  eletrônica, até 18 horas desta sexta-feira. A partir daí será avaliada por equipe da Seinfra. Caso seja aprovada, segue para elaboração do contrato, divulgação e assinatura da ordem de serviços. O prazo de conclusão das obras, a partir da autorização dos serviços, será de 18 meses. O secretário de Infraestrutura do Estado, Adail Fontenele, afirmou que espera que os trabalhos sejam retomados no início de 2015.

VLT Parangaba-Mucuripe

O Ramal do VLT Parangaba-Mucuripe é um projeto da Seinfra em conjunto com a Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos - Metrofor que visa a remodelação do ramal ferroviário Parangaba-Mucuripe, atualmente utilizado para transporte de carga, objetivando a utilização do mesmo para transporte de passageiros.

O Ramal atravessa 22 bairros, que representa 505.162 habitantes (aproximadamente 20% da população da cidade) e possui uma densidade demográfica de 9.717,65 hab/km2 (22% acima da média de Fortaleza). Um estudo de viabilidade realizado entre os dias 25 e 29 de maio de 2006 resultou uma previsão de demanda potencial de 90.000 passageiros por dia.

O projeto prevê, dentre outras, a construção de três tipologias de estação, sendo uma elevada (Parangaba), a do Papicu (que fará a integração com a Linha Leste do Metrô e o terminal) e outro tipo de padronização para as outras seis estações: Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira e Mucuripe.

Processo de licitação das obras do VLT de Fortaleza é retomado

11/12/2014 - Diário do Nordeste 

As obras estão paradas desde junho pelo não cumprimento do prazo de conclusão. Apenas 50% dos trabalhos estão concluídos

Expectativa é que tudo fique pronto em 18 meses
Expectativa é que tudo fique pronto em 18 meses
créditos: Helosa Araújo
 
O processo de conclusão das obras civis do ramal Parangaba-Mucuripe, a ser operado pelo Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), será retomado pela Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra). A comissão central de concorrência apresentará as novas propostas de valor para a licitação do tipo menor preço para a conclusão dos trabalhos.
 
A diferença neste novo certame é que o preço proposto será divulgado antecipadamente. De acordo com André Pierre, coordenador de transportes e obras da Seinfra, a expectativa é que a construção fique pronta em 18 meses. "Depois da contratação da empresa, esperamos que tudo esteja pronto nesse período. Ainda terão que ser feitas desapropriações, desvios de trânsito e mais dois túneis para conclusão da obra", afirma.
 
O ramal Parangaba-Mucuripe possuirá 13,6 Km de extensão, atravessará 22 bairros e contará com dez estações. Um estudo de viabilidade realizado entre os dias 25 e 29 de maio de 2006 resultou em uma previsão de demanda potencial de 90 mil passageiros por dia.
 
O projeto prevê a edificação de três tipologias de estação: uma elevada que ficará na Parangaba, a do Papicu que fará a integração com a Linha Leste do Metrô e com o terminal, além de mais um modelo de padronização para as outras estações.
 
Serão construídos, também, dois elevados com vãos de 32,90 metros, uma passagem inferior passando pela Avenida Borges de Melo, além de passarelas sobre a Via Expressa e a Avenida Pontes Vieira, como exemplos.
 
Integração
"A Seinfra ficou com a responsabilidade de desenvolver as obras do metrô e VLT. A Linha Leste já encontra-se em construção, a Linha Sul foi entregue e o VLT será retomado. Depois de todas as obras prontas, as pessoas poderão realizar a integração de todas essas linhas, o que abrirá um leque de opções de deslocamento para os cidadãos", ratifica André Pierre.
 
As obras estão paradas desde junho de 2014, em virtude do distrato firmado com o consórcio que executava os trabalhos, pelo não cumprimento do prazo de conclusão. Os trabalhos estão com 50% de execução.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Estações do metrô de Fortaleza estão sem informações de horários

22/10/2014 - O Povo - Fortaleza

Há mais de uma semana, chegar às estações da Linha Sul do Metrô de Fortaleza (Metrofor) e descobrir o horário do próximo trem é tarefa que depende de informações dadas pelos funcionários. As tabelas com a previsão de chegada dos trens foram retiradas dos painéis informativos. Na manhã de ontem, a chegada dos trens diferiu até 15 minutos dos dados disponíveis no site do Metrofor, segundo presenciou a reportagem do O POVO. Usuários relatam atrasos maiores no cotidiano.

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Metrofor, a linha ganhou um trem no dia 13 de outubro. Eram três veículos no início da operação comercial (no dia 1º de outubro), e a tabela de horários previa 27 minutos de espera. Agora, são quatro trens e espera de 20 minutos. Uma diminuição de sete minutos entre as viagens que alterou a tabela. Por isso, as informações foram retiradas das estações e não há previsão de quando será disponibilizada nova tabela, tanto no site quanto nas estações.

Apesar disso, o Metrofor informa que os novos horários estão sendo cumpridos. Na manhã de ontem, O POVO percorreu a linha e observou que os trens passavam até 15 minutos antes do previsto na tabela antiga. Mas o intervalo entre dois trens do mesmo sentido chegou a 28 minutos. Na estação Parangaba, um trem partiu às 10h12min em direção a Pacatuba e o seguinte saiu às 10h40min.

Segundo um dos funcionários da linha, que preferiu não se identificar, não há como ter certeza dos horários pois, conforme ele, não é todo dia que os quatro trens estão em atividade. O leitor que sugeriu esta reportagem, Haroldo Barbosa, contou ter recebido informação semelhante de um dos funcionários: na manhã da última sexta-feira, 17, eram apenas três veículos. Ele havia esperado até 7h45min o trem na estação Aracapé previsto para as 7h22min (conforme a tabela do site). A assessoria confirma a parada de um dos trens na tarde do dia 16 para manutenção de uma das portas, problema que teria sido resolvido no mesmo dia.

Para o vendedor Paulo Lopes, 57, o atraso de alguns minutos não incomoda. Para ir do Maracanaú ao Benfica, ele antes levava mais de uma hora de ônibus. Agora, comemora poder fazer o percurso em 20 minutos. "Dá para esperar. A rapidez, o preço e a comodidade compensam". Ele só espera que a linha funcione até as 21 horas. A assessoria do Metrofor informa que não há previsão de estender o horário, que atualmente vai das 6h30min às 19 horas, de segunda a sábado.

A Linha Sul está em operação comercial desde o início de outubro, com passagens a R$ 2,20 (inteira) e R$ 1,10 (meia). Foram 11,5 mil passageiros no primeiro dia (1º de outubro). Desde então, a linha já recebeu até 20 mil pessoas por dia. A expectativa, segundo a assessoria do órgão, é de alcançar a marca de 22 mil usuários hoje, dia em que a operação completa três semanas.

Serviço

Linha Sul do Metrofor

Para mais informações, acesse: Cia. Cearense de Transportes Metropolitanos

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Metrô e VLT: Estado projeta investir R$ 5,32 bilhões em 2015

17/10/2014 - Diário do Nordeste

Com R$ 5,32 bilhões previstos para investimentos em obras sociais e de infraestrutura, o equivalente a 22,5% dos R$ 23,6 bilhões do orçamento projetado pelo governo do Estado para 2015, o próximo governador eleito, seja ele Camilo Santana ou Eunício Oliveira, já tem previamente definidas as principais obras e programas onde deverá aplicar os recursos. 

Conforme o Projeto de Lei Orçamentário (LDO 2015) encaminhado à Assembleia Legislativa do Ceará, esta semana, a implantação do Metrô da Linha Leste (R$ 461,77 milhões), o Programa Ceará IV, de construção e conservação de estradas (R$ 702,6 milhões); a ampliação da segunda etapa do Porto do Pecém (R$ 309,58 milhões) e a ponte estaiada, em Fortaleza, (R$ 233 milhões) consumirão R$ 1,7 bilhão, ou quase um terço (32%) do total de recursos projetados para investimentos no Ceará no próximo ano. 

Para a implantação da segunda fase da correia transportadora de minérios de ferro do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) serão destinados mais R$ 105 milhões, enquanto à execução das obras do Cinturão das Águas estão previstos R$ 101,8 milhões, e para o VLT Parangaba-Mucuripe entrar nos trilhos, R$ 32,6 milhões. 

No total, a proposta orçamentária, que ainda passará pelo crivo do Legislativo, priorizou 45 obras e programas que, juntos, absorverão R$ 2,430 bilhões, sendo R$ 2,262 bilhões de fontes diversas e R$ 168 milhões de contrapartida do Estado. 

Macrorregiões 

As regiões que concentram a maior parte da renda do Estado e consequentemente são as que mais contribuem com o fisco, a Metropolitana de Fortaleza e o Cariri e Centro Sul são as que mais investimentos receberão do governo Estadual no próximo ano, respectivamente, R$ 7,384 bilhões e R$ 1,262 bilhão. Juntas, somarão R$ 8,645 bilhões, o equivalente a três terços, ou 76,2% dos R$ 11,346 bilhões projetados para as oito macrorregiões do Estado. 

Pastas 

Da mesma forma, a LDO 2015 também revela as Pastas que mais recursos deverão receber do próximo chefe do Executivo cearense. A Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) terá orçamento de R$ 82,1 milhões, a de Desenvolvimento Agrário (SDA), R$ 60,9 milhões e a das Cidades, R$ 53,6 milhões. Na outra ponta, entre "os primos pobres", estão as secretarias de Ciência e Tecnologia, R$ 753 mil; a do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), R$ 740 mil, e a de Esporte, R$ 583,42 mil. A de Cultura receberá R$ 550 mil. 

Receitas 

Do total das receitas estimadas pelo governo, no próximo ano, R$ 12,471 bilhões advirão da arrecadação tributária própria; enquanto R$ 8,143 bilhões, ou 34,5% serão oriundos de transferências correntes, sendo R$ 5,726 bilhões do Fundo de Participação dos Estados (FPE) e R$ 103,73 milhões do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Fontes que mostram a forte dependência do Estado em relação à União. Fatores que revelam quanto o gestor Estadual ainda precisa buscar alinhar-se às políticas públicas e partidárias do governo central. 

Para suprir eventuais acréscimos de despesas, o futuro governador poderá autorizar a abertura de créditos suplementares, até o limite de 25%, da fonte de recursos do tesouro Estadual.

Fonte: Diário do Nordeste
Publicada em:: 17/10/2014

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Ceará inaugura metrô incompleto a 4 dias da votação

03/10/2014 - O Estado de SP

FORTALEZA - Às vésperas da eleição, com o candidato do governador Cid Gomes (PROS) ainda tentando a virada sobre o senador Eunício Oliveira (PMDB), a Linha Sul do Metrô de Fortaleza entrou em operação comercial (ainda parcial) nesta quarta-feira, 1.

O candidato apoiado por Cid, Camilo Santana (PT), foi quem anunciou a "novidade" no debate da TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo. Embora a nova operação seja entre segunda e sábado, o Metrô funcionará "excepcionalmente" neste domingo, dia do 1.º turno da eleição. O início do funcionamento normal está previsto somente para 2016. A inauguração, entretanto, era esperada para a Copa do Mundo de 2014.

Visivelmente ainda há muito a ser feito: sinalização e ventilação das estações, por exemplo, ainda não estão completas, e há falhas no sistema de informações sonoras dos trens. Com 24km (liga o Centro de Fortaleza a Pacatuba, na Região Metropolitana), a Linha Sul começou a ser construída em 1999 e custou, até o momento, cerca de R$ 2 bilhões. Recebeu recursos do governo estadual e da União, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O governo do Ceará nega que o início da operação tenha objetivo eleitoreiro. Segundo a Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), a novidade foi possível graças à assinatura de um convênio pendente com o governo federal no valor de R$ 200 milhões e assinado "na semana passada". Ainda segundo a companhia, de economia mista e ligada ao governo estadual, a operação já poderia ter começado na segunda-feira, mas, "para comunicar à população, decidiu-se começar no primeiro dia útil de outubro", quarta-feira.

Com recursos do PAC desde 2007, as primeiras estações da Linha Sul só ficaram prontas em junho de 2012, quando teve início a chamada "operação assistida", com viagens gratuitas entre segunda e sexta-feira, das 8h às 12h. Esta semana, o serviço foi estendido: de segunda a sábado, das 6h30 às 19h, agora com cobrança de tarifa (R$ 2,20 a inteira e R$ 1,10 a meia. É o mesmo preço das passagens de ônibus.

O número de trens operando, entretanto, permanece o mesmo: somente três, o que significa um tempo de espera de 30 minutos entre um e outro. Somente com a operação total, no início de 2016, é que o tempo de espera cairá para entre 3 e 6 minutos, informou a Metrofor, com a circulação de 25 trens.

O procurador regional do Ceará, Rômulo Conrado, informou que não vê irregularidade eleitoral no início da operação dias antes da eleição.

Remoções. No reduto eleitoral do governador Cid Gomes e de seu irmão Ciro Gomes (PROS), outro metrô, também atrasado e com recursos da União, continua sem data para começar a operar. O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de Sobral, cidade do sertão cearense a 240km da capital, deveria ter sido entregue em dezembro de 2012, mas até hoje não opera. Nesta quinta-feira, 2, a Metrofor não quis dar uma previsão para o início de operação do "Metrô de Sobral", como é chamado.

A construção do VLT, que custou até agora cerca de R$ 90 milhões, envolveu um polêmico processo de remoção de 18 imóveis. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do governador Cid Gomes não retornou. Ironicamente, no trecho onde hoje se veem apenas os escombros das casas que foram removidas, há placas de propaganda não só do candidato apoiado pelo governador, Camilo Santana, mas também de seu principal concorrente, Eunício Oliveira.